Exibindo posts publicados: Business Intelligence

Business Intelligence O que é e por que devo ter na minha empresa

Por muito tempo os maiores líderes tomavam decisões com base em “achismos” ou, como eles chamavam, experiência de mercado. E dava certo? Às vezes sim, às vezes não. Reconhecemos que muitas empresas renomadas detinham esses gestores e sempre obtiveram o sucesso. Também precisamos enaltecer essas pessoas que, por meio de observações, estudos e análises conseguiam identificar a direção que o mercado estava tomando.
Mas com a rápida transformação tecnológica do mercado, essa metodologia para tomar decisões começou a se tornar obsoleta. Então se fez necessário encontrar uma nova maneira, uma que pudesse ser mais escalável e sistemática. Uma inteligência de mercado que trouxesse ao gestor todos os dados em tempo real e que, com um rápido olhar, fosse possível ter uma noção precisa de quando avançar, recuar ou produzir. 
Essa necessidade deu origem ao que conhecemos como Business Intelligence (B.I.). Ao longo deste artigo você vai entender o que é e quais as vantagens do Business Intelligence para a sua empresa.

Conhecendo o Business Intelligence

Você pode ter percebido que em todo momento usamos o termo “metodologia” para falar sobre Business Intelligence (B.I.), isso porque o B.I. não é uma ferramenta, nem um software, ele é um processo.
Com a ajuda de softwares o B.I. coleta, organiza, analisa e monitora os dados da empresa, com o intuito de deixá-los mais fáceis de serem lidos. Assim, os gestores e outros colaboradores, podem tomar decisões mais rápidas e assertivas. E para que você consiga ter todas as respostas que deseja, é necessário que o B.I. possua 3 pilares:
  • Coletando dados: a princípio todas as informações da empresa serão analisadas para determinar alguns aspectos-chave que faz relação com determinadas características como produtividade; oportunidades; reputação etc.
  • Organizando e analisando: Após recolher todos os dados nas mais diferentes fontes, chegou a hora de organizar estes dados. Para a apresentar as principais informações aos gestores, que ajudarão nas tomadas de decisão, pode-se apresentá-los visualmente, com o auxílio de ferramentas e plataformas.
  • Ação e monitoramento: Após todo o processo de implantação, os responsáveis tomam decisões baseadas nas informações analisadas e monitoram seus resultados.

Qual o papel do B.I. na minha empresa?

Antes de começarmos a mostrar como será o funcionamento do B.I., precisamos explicar uma questão importante: O Business Intelligence não vai dizer aos gestores o que fazer ou que pode acontecer com a empresa se eles seguirem determinado curso. E se você acha que essa metodologia se resume a apenas relatórios, também se enganou.
Antes de ficar confuso entenda que as ferramentas de B.I. contribuem para uma maior produtividade ao simplificarem o esforço que muitas pessoas precisam fazer para pesquisar, combinar e consultar as informações antes de tomar uma decisão importante.

Maiores vantagens do B.I. na sua empresa

Chegamos ao momento da verdade, como essas ferramentas podem ajudar minha empresa? De várias formas. Construímos uma lista com algumas vantagens do B.I.:
Medição e Monitoramento
Analisar, monitorar e medir são algumas tarefas necessárias para identificar as oportunidades de mercado. Seus gestores necessitam estar em constante pesquisa para identificar os melhores caminhos a seguir. Essa tarefa se torna muito trabalhosa quando seus dados estão espalhados em vários bancos de dados.
dashboard on smartphones and computers.
Além de buscar, você precisará cruzar essas informações para obter as respostas que necessita. Quando se utiliza as ferramentas de B.I. para buscar essas e outras informações, basta um clique e a ferramenta cruzará as informações que você precisa e te mostrará os diferentes cenários.
Maior e melhor compreensão dos dados
A principal finalidade das soluções trazidas pelo B.I. é converter uma grande quantidade de dados, dispersos em vários locais, em um conjunto de informações simplificadas que são úteis para a tomada de decisões estratégicas.
Sendo assim, se você precisa identificar quais são as filiais da sua empresa que apresentam melhores resultados ao vender determinado produto, basta acessar os dashborads da sua ferramenta de B.I. e observar os gráficos apresentados. Com isso será mais rápido e efetivo pensar em uma estratégia.
Contribui para as tomadas de decisão
No momento em que os gestores têm acesso às informações sobre o negócio, tem-se uma valiosa oportunidade de buscar formas melhores de gerenciá-lo. Além disso, há o fator tempo. No atual cenário mercadológico não é mais possível que uma informação demore para chegar ao gestor e esse também demore para realizar uma ação. 
Com o auxílio das ferramentas de B.I. os gestores conseguem construir uma visão imediata da situação, seja problema ou oportunidade, e assim aprimorar as respostas que trazem a solução.
Gerenciamento de estoque com mais precisão
Um dos grandes problemas enfrentados por algumas empresas, principalmente varejistas, é o excesso e/ou a ruptura de estoque.
Mas o que isso tem a ver com B.I.? Muito simples, ao utilizar as ferramentas que o B.I. oferece você consegue identificar se há falta ou excesso desse produto no seu estabelecimento. Assim, diminuindo as despesas ao realizar compras desnecessárias.

Compartilhando resultados

Aqui mostramos algumas das vantagens mais significativas para sua empresa ao utilizar o B.I., mas ainda há muito a ser falado. Queremos também que você entenda que para cada perfil de empresa é possível construir uma estratégia em B.I. completamente única.
Por: Karolyne Araujo VER MAIS
As 4 tendências mais importantes de Business Intelligence

Estar um passo à frente faz toda a diferença quando falamos em mundo empresarial. E quando o assunto é Business Intelligence (BI), então, a necessidade de conhecer e entender as principais novidades do mercado pode ser encarada como uma estratégia de negócio, afinal ao estar a par das tendências mais importantes do Business Intelligence, você consegue garantir que seu negócio saia na frente no que se refere a tecnologia e inovação.
E com o intuito de te auxiliar nessa busca pelas novidades do mercado de business Intelligence, elaboramos esse artigo em que apresentamos as principais tendências de BI para o segundo semestre de 2019 e início de 2020. E quem nos ajudou nessa missão foi o Eduardo Viana, Gerente de Inteligência Empresarial da Wiser Tecnologia, que colaborou com seus conhecimentos e experiências para entendermos mais sobre essas tendências.

Tendências de Business Intelligence

Antes de começarmos a entender sobre as tendências que cercam o universo de BI é necessário conhecê-las, por isso, vamos apresentar as principais tendências.
  • Os dados que humanizam!
Já imaginou uma tecnologia em que você possa interagir com os dados da sua empresa? Fazer perguntas com base no que foi visualizado e tudo isso sem precisar ser “expert” em BI? Antes de você achar isso impossível, deixa eu te contar que a próxima tendência do mundo de Business Intelligence é justamente essa.
Com o aprendizado da máquina, será possível que os softwares de BI, que gerenciem seus dados apresentem um domínio mais aprofundado dos dados do negócio e, assim, reconheçam quais os tipos de perguntas precisam ser respondidos com base nos dados que possuem.
  • Dos dados à ação
Há um processo: tudo começa pela análise dos dados e em seguida vem a ação. Por isso, o que os profissionais mais querem é ter os dados e a ação no mesmo lugar. Já imaginou poder analisar os dados e agir logo depois de encontrarem uma informação: tudo isso no mesmo lugar?
Portanto, essa perspectiva também é uma tendência de BI. Ao invés de fazer análises em um local e agir em outro, o profissional deve conseguir se manter no contexto de seus fluxos de trabalho e processos de negócios. Sendo assim, as plataformas de Business Intelligence atendem a essa necessidade ao se mesclarem com fluxos de trabalho, processos e operações fundamentais dos negócios.
  • A História da sua empresa contada pelos seus dados
Mais do que saber entender os dados é preciso conseguir passar essas informações aos tomadores de decisão. E esse é o papel não é tão fácil, é preciso que você consiga desenvolver seus profissionais para que eles possam ser “contadores de histórias”. Portanto, isso significa que eles devem analisar os dados e perceber qual a melhor forma de fazer com que aquela informação seja visualmente agradável ao ponto de que o gestor possa, em uma primeira olhada, tomar uma decisão assertiva. Afinal, descobrir, extrair e compartilhar as informações a partir dos dados deverá ser uma tarefa coletiva.
  • Análise cada vez mais precisa
Uma das tendências mais almejadas pelo BI é a necessidade de tornar cada vez mais precisa as informações colhida pelos dados.  Portanto,à medida que as fontes de informações se tornam mais complexas, diversas e numerosas, o gerenciamento dos dados é cada vez mais fundamental nas implantações do BI moderno. E, por isso, quanto mais as pessoas usarem dados para orientar decisões, mais as empresas devem garantir a assertividade nas estratégias.
Uma das tendências mais almejadas pelo BI é a necessidade de tornar cada vez mais precisa as informações colhida pelos dados.  À medida que as fontes de informações se tornam mais complexas, diversas e numerosas, o gerenciamento dos dados é cada vez mais fundamental nas implantações do BI moderno. E, por isso, quanto mais as pessoas usarem dados para orientar decisões, mais as empresas devem garantir a assertividade nas estratégias.
Leia na íntegra a entrevista exclusiva que Eduardo Viana concedeu à Wiser Tecnologia.
WT (Wiser Tecnologia): Como os gestores podem usar a linguagem natural dos dados para conseguirem desenvolver sua empresa?
EV (Eduardo Viana): Bom, antes de responder a essa pergunta, preciso explicar dois conceitos. O primeiro é a Linguagem Natural, ela é a forma como a gente se comunica, e o segundo é o conceito self service, ele proporcionar ao gestor analisar os dados sem precisar ter um cunho muito técnico. Sendo assim, as plataformas de BI utilizam-se desses dois conceitos para construir um software em que qualquer pessoa pode realizar perguntas. Por exemplo, na plataforma Tableau, você iria perguntar assim: “Tableau, qual o valor da minha recuperação de crédito por dia?” Após essa pergunta, o software vai montar um gráfico como resposta à sua pergunta. Você simplesmente digitar o que quer saber e ele te responde, mas lembre-se que para isso acontecer de forma eficiente, é preciso que sua base esteja estruturada. Sendo assim, você vai depender do papel de um cara técnico, de um analista, de um cara que trabalhe com dados.
WT : Será que o fato dos dados estarem com a linguagem natural permite que pessoas comuns, que não detém um conhecimento prévio de BI, possam construir análises assertivas dos dados apresentados?
EV: Sim. A plataforma de BI quer propor justamente isso, a questão do self service. Sendo assim, o gestor, ou qualquer outro funcionário da empresa, fazer o self services, ele precisa ter sua base de dados normatizada e, assim, a plataforma consegue estruturar a resposta. As ferramentas de BI são muito simples na sua utilização, elas facilitam muito a construção de dashboards, a construção de análises dos números e etc. Então, respondendo, a ferramenta consegue sim dar mais assertividade no que está sendo apresentado.
WT: Em uma das tendências que comentamos, dizemos que em um futuro bem próximo os gestores poderiam analisar os dados das suas empresas em uma plataforma e, na mesma plataforma, haveria a possibilidade de executar uma ação. Você poderia nos apresentar um exemplo de como isso poderia acontecer?
EVIsso não é futuro e, sim, realidade. Como funciona? Vou dar um exemplo: em um dos nossos clientes, existe um relatório que mostra, de hora em hora, quais produtos estão sendo vendidos nas lojas. Então o gestor consegue analisar de hora em hora essa evolução do número. Se ele perceber que um determinado produto está vendendo pouco, ele pode promover algum tipo de ação, ou para aquele momento, ou para os próximos dias. Portanto, você ter facilidade de olhar para o número, te facilita muito na tomada de decisão. Antes de colocarmos o BI nessa empresa, esse relatório só era feito quando solicitado e demorava algum tempo para ser concluído. Hoje ele é feito a cada 15min.
WT: Quais as principais vantagens de se ter uma convergência entre dados e ação?
EV: Não adianta mostrarmos os dados se esses não provocarem nenhum tipo de mudança nas corporações. Portanto, o que a gente vê muito nas plataformas de BI que muitas ações eram feitas, simplesmente, no feeling, no sentimento. O gestor achava que aquele resultado estava ruim e criava uma estratégia, executava uma ação, sem pautar nada em número.
Em geral, as empresas fazem reuniões mensais para avaliar os resultados e essas, só acontecem ao final do mês e um plano de ação é montado para o próximo mês. Assim, você concorda comigo que esse tempo entre execução e recalibração de estratégia é muito extenso?  Então, ao utilizar uma plataforma de BI, é possível conectar os dados relacionando-os e entregar em um tempo hábil para que a ação seja tomada em real time. O tempo de decisão diminuiu drasticamente.
A facilidade de extrair a informação desses dados faz com que o tempo de tomada de decisão seja menor. Além disso, as ações estratégicas são pensadas e executadas em curtíssimo tempo.
WT: Qual o real impacto para uma empresa ter em sua equipe verdadeiros contadores de histórias?
EV: Hoje quando vamos explorar os dashboards não queremos, simplesmente, fazer uma planilha, pois entendemos que a planilha leva tempo para ser entendida. Então, transformamos alguns painéis, até de forma lúdica, para que o gestor “bata o olho” e saiba qual a decisão que ela tem que tomar, qual o número ele precisa ver de fato. E contar história é justamente isso, buscar formas, criativas, para que os números sejam apresentados de forma clara. Há também outra perspectiva de contar histórias, é passar de camada em camada, trilhando um caminho, para você ter uma análise profunda do seu resultado. Tornar o relatório mais atrativo é justamente você dá informação necessária e que não seja em forma de planilha e, sim, uma tabela.
WTQual o perfil de uma empresa que tem os “contadores de história de dados”?
EV: Qualquer empresa que queira fazer um trabalho de previsão de informações. Sendo assim, podemos citar que aquelas empresas que têm um grande volume de transações, de pessoas ou de materiais e aquelas que não conseguem controlar, de forma automática, seus dados. 
Se for para eu exemplificar segmentos, acredito que as empresas de Contact Center, Redes de Supermercados, Clínicas e as empresas que estão expandindo.
WTComo é possível garantir que ao utilizar o BI na empresa as decisões serão mais assertivas?
EV: Nada é garantido, mas as plataformas de BI dão facilidade de acesso à informação. A própria plataforma de BI, como a Tableau, ela consegue te notificar quando um indicador está no limite e com base nisso você consegue tomar uma ação.
WT: Se você pudesse fazer uma previsão de como estará o mercado daqui há 5 anos, como seria?
EV: Eu imagino que a maioria das decisões, das corporações, vão utilizar ciência de dados, para tentar prever o que o mercado fará. E, assim, Acredito que a guerra por informação vai ser cada vez maior, o volume de informação vai crescer exponencialmente, então para que as empresas consigam lidar com esse grande volume que está por vir, será necessário fazer uma previsão bem assertiva. E as empresas que não conseguem se adaptar com esse nível de previsão não conseguirão crescer e elas podem ser engolidas.

Conclusão

Agora que você conheceu as 4 tendências mais importantes de Business Intelligence ficou fácil perceber que a modernização está logo ali batendo na sua porta. Por isso, que tal começar abrindo as portas da sua empresa para o progresso? Considere utilizar o BI para desenvolver mais sua empresa. Afinal, você não pode ficar para trás.
Por: Karolyne Araujo VER MAIS